A gente vimos: Man of Steel, por Algures (Spoilers)

mos1
Qual é o seu Superman? Para as gerações dos anos 30 e 40, Superman era um vigilante que fazia justiça com as próprias mãos e não se importava em intimidar os criminosos com sua força. Para as gerações de 50 e 60 era normal o Superman achar maneiro casar o Jimmy Olsen com uma Gorila e mover planetas como quem abre uma porta. As gerações de 70 e 80 acreditavam num Superman “escoteiro”, confiante e seguro de si, que sempre tomava as decisões corretas e quem viveu as décadas de 90 e 2000 conheceu um Superman mais vulnerável, tanto física quanto emocionalmente.

Dito isso, a coisa mais importante a ressaltar nesta resenha é: O Superman de Man of Steel não é o Superman da minha geração. Em outras palavras, eu não reconheço ali o Superman com o qual eu cresci. MAS – e é um grande “mas” – isso não é necessariamente ruim. Vale lembrar que os quadrinhos só sobreviveram por quase 80 anos por que se adaptaram aos tempos e foram atualizando seus personagens para se ajustar às exigências da geração de cada época. Se os super-heróis quiserem sobreviver no cinema por muito tempo, terão que fatalmente fazer o mesmo.

mos3

Agora que está tudo esclarecido, achei O Homem de Aço um bom filme sci-fi. Com seus erros e acertos, o filme tem o grande mérito de mostrar que Superman pode funcionar de outras formas no cinema, assim como nos quadrinhos, que nos trouxeram tantas versões alternativas do personagem.

Para facilitar a consulta e resumir minha opinião (se não eu ia acabar fazendo um texto filosófico em 40,5 partes), vou destacar os pontos altos e os pontos baixos do filme, sem me ater a comparações entre este Superman e qualquer outra versão – a não ser quando se fizer extremamente necessário.

Pontos altos
movies-man-of-steel-trailer-01
Krypton: Finalmente vimos em Live action krypton representado como um planeta de verdade, com fauna, flora, sociedade e política. Alguns reclamaram do tempo que Krypton teve de tela, mas eu considerei o maior mérito do filme e sua maior contribuição pra a historiografia do Superman no cinema.

Lois/Clark: Sai a jornalista que consegue ganhar prêmios pulitzer por jornalismo investigativo, mas não consegue perceber que a única distância entre ela e Superman é um óculos, entra uma mulher que tem participação direta na decisão do Superman de se tornar o Superman, e também na manutenção de sua identidade secreta. Um relacionamento diferente do que já foi visto (quer dizer, na verdade foi visto em Smallville, hueheueheuheueheuh), mas muito válido.

Fortaleza da Solidão: Não existe uma “fortaleza da solidão”, ela é apenas uma nave kryptoniana que caiu aqui há cerca de 20 mil anos atrás.

Intimismo: Eu sempre me perguntei por que nunca abordaram o quanto deve ser difícil ser o Superman. Imagina você ouvir a confusão do trânsito a uma cidade de distância, ter que cuidar para não encostar em nada de forma desatenta para não quebrar, ou cuidar para não se descontrolar sob o risco de incendiar uma escola? Até que enfim abordaram o Superman pela ótica do próprio Superman.

Ação: Tem bastante. E as cenas de luta são bem legais. Lembra muito desenhos de Super-herói como Liga da Justiça e até os próprios quadrinhos. Aliás, a luta entre Zod e o Super lembra bastante a morte do Superman.

Zod: É o personagem mais legal e bem caracterizado do filme, depois do Super. É a exata antítese do personagem, e ao mesmo tempo é o Superman de Krypton; em outras palavras, se fôssemos Kryptonianos, Zod seria o herói da história.

Easter Eggs: Diferente da Marvel, a Warner não quis colocar coisas muito explícitas, mas tem 3 coisas que vale destacar (embora acho que todo mundo já saiba): A “fortaleza da solidão” tinha cápsulas com kryptonianos mortos, mas uma delas estava aberta sem ninguém (Se não me engano o prequel dá a entender que é a Supergirl), o logo da Lexcorp que aparece umas duas ou 3 vezes durante o filme, e a logo da Wayne Enterprises num satélite que Zod usa contra o Super.

Pontos baixos
Laurence-Fishburne-and-Rebecca-Buller-in-Man-of-Steel-2013-Movie-Image-600x324
Explicações didáticas: Tudo bem que existe muita coisa pra se explicar em Man of Steel, mas dedicar uma cena inteira para colocar o Jor-el palestrando para o filho sobre Krypton é sacanagem. Qualquer pessoa que conhece um mínimo de criação de roteiro sabe que essa é a forma mais preguiçosa de narrativa: definir um momento onde você põe o espectador no colo e conta toda a trama, ao invés de fazer as explicações surgirem naturalmente conforme a história progride. E, além disso, já to bem cansado dessa estratégia de colocar o Jor-El como uma consciência onipresente que interage com as pessoas mesmo depois de morto.

Subaproveitamento de personagens: Embora bem caracterizada, o desenvolvimento da Lois é simplesmente deixado de lado em detrimento das cenas de ação e de ter que ser salva da metade para o fim do filme. Os personagens de Metrópolis são ridiculamente mal explorados sob a desculpa de que serão melhor aproveitados numa eventual sequência, mas isso acaba prejudicando a identificação do espectador com eles no filme. A impressão que dá, como disseram os outros MDMs no pod sobre o filme, é que tem uma porção de personagens que tiveram cenas cortadas e que tinham bem mais relevância originalmente.

Cenas desnecessárias: Algumas cenas de ação desnecessárias (o enfrentamento com tentáculos robóticos gigantes durante a tentativa de Zod de terraformar nosso planeta por exemplo) e cenas colocadas só para ter algum humor (como a cena da soldado falando que o Super era gostoso) fazem a gente se perguntar se não daria para eliminar essas merdas e incuir cenas com os personagens mal aproveitados.

Para mim, o saldo geral é positivo. É um filme legal, tem boas cenas, as cenas intimistas são bem interessantes. Não é o “meu” Superman, mas é talvez o que as gerações atuais exijam hoje, em tempos menos inocentes e mais confusos. Agora é ver como o personagem evolui nas sequências, se ele vai com o tempo se aproximar mais do Superman dos quadrinhos ou, como foi com a trilogia do Nolan, o personagem vai ter seu próprio caminho e se tornar algo completamente diferente de sua contraparte bidimensional.

mos8

Nota: 8

Anúncios

  1. Fernando Luís Ramos

    Perguntas, por que quando Lois Lane foi falar com Perry White sobre sua experiência alienígena não mostrou a cauterização que estancou sua hemorragia?
    Por que quando a “consciência” de Jor-El estava no comando da nave alienígena não sabotou os seus comandos como um vírus?
    Por que havendo confronto físico entre os kryptonianos eles não ficavam com hematomas?

  2. Alex

    Quando vi o Super lutando contra os tentáculos, pensei imediatamente que seria legal ter deixado para usar essa cena em Man of stell 2, tendo Braniac como vilão. Certamente essa tecnologia faria mais sentido.

  3. Paunocu desses bostas! Pois não babam pro Superman de Richard Donner e Christopher Reeve? E o que ele faz com Zod e sua turma na fortaleza da solidão? Mata e permite matar todos, na frente de Luthor com a Lois Lane de cúmplice! E o pior é que isso era desnecessário! Zod e seus soldados estavam sem poderes! Já não eram ameaça! Vão se fuder! E pra esses viados do MDM que além de mimimi ficam metendo spoilers na cara de todos, VÃO ENFIAR UMA TORA NO CU SEUS PORRAS!

    • igor

      Nas HQs e nas animações o que não falta é prédio indo abaixo. Na verdade nas HQs da Justice League é uma cidade indo pro chão por arco. É natural cara, quando dois deuses se enfrentam.

    • pior que homem de ferro 3?elektra? demolidor? justiceiro? a trilogia do homem aranha do raimi(em especial homem aranha 3)?hulk 1?blade 3 e uma pancada de filmes? tentando negar o passado da marvel né? uaha

      • paulo

        Opa, os dois primeiros filmes do Aranha do Raimi são bons, inclusive o segundo é praticamente uma refilmagem do segundo filme do Super, mas invertendo a escolha do herói que nesse caso fica com a mocinha depois de voltar a ser “mais que humano”.

      • Felipe Lima

        soh os filmes da Marvel Studio… do HDF pra ca… O filme nao eh ruim, eh um bom filme de acao. Mas eu flw no contexto das HQ’s, etc.. fica pior que os da Marvel Std.

      • Felipe Lima

        nao falei q era um filme ruim.. mas nao conta retrata bem a historia do Superman das HQ’s. Eh um super personagem qlqr. Bom filme de acao. Fraco filme relacionado a HQ

  4. parabéns algures, você foi o único até agora a ser macho o suficiente pra fazer uma crítica imparcial e não ser tendencioso como o bosta do Bugman foi , e o resto do povo nesta merda de blog tem feito!! parabéns cara, vc tem futuro!!! Você nen imagina quem sou eu, mas se o pessoal soubesse hehehe, fariam quadradinho de 8 facinho facinho!!!

  5. Quanta frescura,o superman nos quadrinhos dos anos 80 e 90 mata zod e os dois outros kryptonianos,superman 2 mata zod e sua turma e nego de mimim porque o super matou o zod? por favor para mim parece um exagero

    • Shiraklima

      Pois é, grande olavo lima! Mas tem gente que acha que não! Nem nas hqs, muito menos nos filmes! A diferença é a abordagem mesmo, como isso é mostrado na tela! No Super 2, com Reeve, ele efetivamente mata o Zod que está até sem poder algum não é? E tem um certo detalhe que eu nunca aceitei no Super 1: ela cria a fortaleza da solidão por meio do cristal, tem o primeiro contato com Jor-El (acertei Erik?!) e logo – com um corte temporal imenso – aparece com roupa e voa! Em seguida – com outro corte de cena – está como Clark Kent… ms como disse no meu texto mais abaixo, somos tão puristas que ninguém fala sobre… E no man of steel, aparece jor-El explicando kripton e é mostrada a roupa, e isso é didatismo de roteiro… como dizem por aí… abraço cinéfilo…

      • Acho o znyder um péssimo diretor,odiei o que ele fez com watchmen,mas apesar de achar a cena do super homem que ele adicionou desnecessária,não é o suficiente para esse lance todo,acho que esse filme somente está abaixo de o corvo,superman 1 classico,sin city,vingadores e cavaleiro das trevas

  6. Bela crítica! Bastante clara e objetiva. Apenas destacaria o seguinte: apesar do Super-homem ter passado por várias fases, o traço de caráter mais fundamental está presente em todos elas: sua vontade de servir à humanidade, para o bem dela, sem esperar nada em troca. Este traço essencial se encontra presente e muito bem exposto em Man of Steel.

  7. Shiraklima

    Boa tarde, colegas do MDM! Assumo minha surpresa ao ler o site, pois confesso que o desconhecia. “Man of…” não é perfeito por 2 quesitos: edição/ritmo apressado e, digamos, alguns “furos” de enredo. Mas, na minha opinião, o filme é 9!
    Por que fiz questão de destacar “furos”?! Observemos que o roteiro é de D. Goyer (não, não tem participação do Nolan, este escreveu o ARGUMENTO GERAL com o Goyer…). Desde quando trabalharam junto em Batman, percebe-se que eles gostam de ‘re-invenção’. Há ao mesmo tempo menção a elementos clássicos das HQs e re-criação destes mesmos elementos. E até simplemente deixam de lado aspectos icônicos das histórias. (Observar a concepção do Bane, batmóvel, Duas caras, eu acho fantástico a forma como eles concebem esses personagens pros filmes, as vezes, atualizando-os…)
    Então aqui vai alguns quesitos interessantes para os comentários do site:
    1) Colegas, esse filme é um filme DE ORIGEM, DE ORIGEM. Tenhamos isso em mente!. Pra que destacar tanto o Planeta Diário, como reclamaram aqui? E seus personagens? Kalel assumindo a persona repórter, veremos isso no 2 filme…
    2) Tantos reclamam do didatismo do roteiro em certas partes… mas tem gente reclamando da correria em Kripton… só se parasse e tivesse mais diálogos – didáticos – pra gente entender mais sobre kripton!! Do jeito mostrado, ficou legal sim. ( é totalmente proposital por parte do Goyer deixar coisas no ar pra pensarmos como se dão as coisas, gente! Não vejo como furo!)
    3) Poxa, sobre a interação de Jorel com kal… Isso já existia na versão do Donner – mas como somos puristas ninguém fala nada sobre… – Alguém pode até dizer q não foi mostrado nos filmes do Donner… MAS AS IMAGENS utilizadas por B. Singer em super returns era da versão do Donner. O filme é de origem, tínhamos q ver tudo sendo contado…
    4) Falam por aí que kalel aceitou muito fácil sobre sua historia na fortaleza, ou melhor, nave (achei melhor assim, enfatiza o lado alien, um dos grandes trunfos do filme)! Reparem que o cara está ávido por respostas e possui aquela chave que veio com ele de kripton. Ele já sabe que é um alien, colegas! E olha o detalhe: claro que é uma jogada narrativa explicar pra kalel quem ele é (explicando p publico). Mas tinha outra forma pra fazer isso?? Sabemos um pouco mais sobre Kripton e cultura e sobre Zod que não sabemos no inicio, meu colegas! Vamos entender isso…
    5) Sobre os valores humanos! A obra de ficção, por mais ficcional que seja, ela procura ser verossímil… Jonathan Kent sabia do perigo q kalel correria se expusesse seus poderes! Na sua ótica de pai e humano ( e por vezes limitado) o super n poderia intervir nos acontecimentos da vida ( por isso aquele diálogo sobre deixar morrerem). (E se eu n estiver enganado, isso acontece no Super – o filme! JOrel fala pra ele n intervir, mas ele salva a lois, alterando o tempo.) Mas ele sabia que o filho traria grandes mudanças para o mundo. E sobre justiça, altruísmo? E que melhor explicação seria do que o próprio Clark tendo a consciência de seus poderes para ajudar o próximo???? Observe isso Erick Junior…
    6) E aqui vai uma pergunta: qual outro longa feito sobre o super mostrou tanto a descoberta de poderes e a criação de Kalel? O do b. Singer, o do Donner??
    7) Patriotismo? O personagem é americano, foi feito com esse intuito por seus criadores! E nem ligo por uma ou 2 cenas com bandeiras! Sinceramente…
    8) alguns falam sobre a destruição de metropolis… Observem que NÃO FOI A CIDADE INTEIRA… os humanos tanto fogem, como olham aterrorizados Zod e Super brigando! Isso é terror e espanto com desconhecido… achei muito verossímil acontecer… Isso é deixa p 2 filme pra mostrarem como alguns humanos viram kalel ajudando a cidade…
    9) Assumo que as vezes é exagerada… ms realmente sentimos se tratar de uma grande ameaça ao planeta… qual outro filme baseado em HQ mostrou desta maneira? O do Donner, Singer, vingadores??
    10) Os humanos ficam passivos com o anuncio de Zod? O que eles podiam fazer? O governo fez o possível… e a condição de zod era q entregasse o super… e isso foi feito… ms os kriptonianos resolveram invadir smallville em busca do tal “codex”
    11) O lois Lane não voa não! Claro q o filme tem seu prob. de montagem. Mas pensemos? Ela é salva pelo super em smallville n é? Vem o carro de polícia e ela segue até a casa dele. Isso foi bastante lógico até… e olhe q tem a briga inteira com zod e faora e ele volta p ver a mãe… e EIS QUE LOIS CHEGA… tenhamos atenção amigos (reclamam de didatismo, mas querem ver tudo explicitado na imagem… sobre lois chegar rápido onde kalel tá depois da morte de “fulano”, é o lance da montagem, ms não dá pra chiar com essas coisas não)
    12) Sobre o planeta diário estar destruído, não lembro de ter visto ele todo destruído. Pode ser outro prédio, ou simplesmente ter sido construído e n foi mostrado! Isso deve ser esclarecido na seqüência em algum diálogo, NÃO VAI SER MOSTRADO… sinceramente…
    13) Falam do humor! E colega crítico falou de cenaS de humor como a da moça do exercito falando da capa… Não lembro de outra cena… Teríamos cenaS de humor mostradas demais que atrapalharam desenvolvimento de outros personagens?
    14) No quesito “coincidência”, pensemos uma coisa: coincidências existem msm… A obra de ficção precisa de verossimilhança! Kalel está procurando a nave e lois é uma repórter, em algum momento poderiam se encontrar!! Ele se revela pra Lois, ajudando na nave! Mas ela é a única q vai atrás dele, pois tem fotografias, é repórter! Os outros possivelmente poderiam descobrir quem é o kalel, se tivessem a vontade de investigá-lo! ( lembro da rima temática com Batman… akele contador descobre que Batman é o BRUCE no TDK e o Blake no TDKRises sabe o mesmo e fala “é preciso atentar os destalhes”
    15) E tem um grande trunfo no roteiro que realmente gostei: (alguns vão até dizer que é didatismo) Zod entra na mente de kalel, procurando o ‘codex’! Observe que ele dá a sua versão sobre os fatos, sobre a sua intenção com este objeto! E ( que em parte em concordei) como kriptoniano q era, estava certo na sua ótica
    16) Caros colegas, é um filmão sim! Elenco principal e de suporte todos bem. Produção caprichadíssima e direção de ação também.
    17) Tem furos sim. Ou as vezes penso que o estilo do goyer deixar as coisas suspensas! Se não se chatearem como esse pekeno texto com spoiler, eu apareço mais uma vez por aki!
    18) Nota 9 pro filme! Abraços a todos! E Vamos deixar purismo e saudosismo de lado…

    • Sinforoso

      Imagino que seja simplesmente impossível argumentar qualquer ponto contigo. Você simplesmente narrou as cenas, e disse que gostou, que ficou bom, sem justificativas razoáveis. Tudo não passou de um enorme e sonoro “qual é, colegas… vamos gostar, vamos?”. AHUEHUAHEUHAUHE

      • Shiraklima

        Sinforoso, meu velho, não foi isso! Assim como todos aqui, esperava o filme há muito tempo! E não aceitei toda a proposta… Se vc não acha minhas justificativas razoáveis, tudo bem! Mas procure ver o filme novamente, atentando para os aspectos que apontei! Sem parecer “boa praça”, aceite a sugestão de alguém que, como você, nutre muito carinho e amor pelo personagem! abraço cinéfilo…

          • Shiraklima

            Boa noite! Falecido Corto, vc é a pessoa à qual se refere o neslau mais abaixo? Eu confesso que gostaria de ter entendido o vídeo da xuxa e, talvez, me contextualizar melhor pra que pudéssemos discutir… mas deixa pra lá! Sou leitor do Omelete, do 100grana, do Cinemaemcena, do AdoroCinema, do Contracampo (já leu esse último?!) e de tantos outros… Realmente pensei que ia encontrar mentes inteligentes pra compartilhar sobre o “Man…” Continuo achando um filmaço! E se permitirem, ainda exponho mais as razões de tal opinião! Aqui vai um conselho: ASSISTAM ao filme… Abraço cinéfilo!

            • Um pouco de contexto:

              1 – Corto era um redator não muito querido aqui no MDM. Geralmente fazia posts extremamente longos e, inclusive, fez um post citando 40,5 cenas marcantes de Batman Rises (ou seja, descreveu praticamente todas as cenas do filme). Quando foi demitido, jogou um copo de ácido no servidor que continha todos os posts do site, como forma de vingança.
              2 – Infelizmente, não tem como você se contextualizar lendo posts antigos porque Change, um dos donos do site, perdeu o pen drive contendo o backup do antigo MDM em um puteiro europeu.
              3 – Não sei se você acessou outros posts/leu outros comentários, mas aqui não se utiliza essa linguagem extremamente formal/educada que você usa. Se continuar, você vai virar alvo das piores ofensas. É só uma dica.
              4 – Alguns aqui chamam o Omelete de Homolete, daí o vídeo. Nada pessoal.
              5 – Aproveite pra ouvir os podcasts e entender um pouco mais do MDM. Já ouviu a “audiocrítica” de MOS?

              • Shiraklima

                Falecido Corto, obrigado – sem demagogia alguma – por suas dicas! Já percebi as ofensas nos comentários! Eu, particularmente, não agiria assim. Realmente gostei do post-crítica do Algures feito sobre o novo super! Eu não conhecia o site, e por isso enfatizei isso no 1º texto! Acho que nem fui formal na escrita e tão educado assim! Mas fui sim nas respostas a alguns colegas que se manifestaram a respeito do texto!
                Escrevi muito, pois leio resenhas sobre o filme desde sua estreia e percebo que há muita falta de noção ao tratar do “Man…” Obviamente que opinião é opinião, todavia, tentei detalhar o filme para esclarecer coisas que a maioria não está notando! E eu acho que discussão é isso: compartilhar ideias e esclarecer as mesmas! No mais, um grande abraço cinéfilo…
                p.s. não vi ainda os podcasts e audiocrítica, ms procurarei ouvir!
                p.s.2 pra quem tiver curiosidade apenas, leiam a ‘pseudo crítica’ de Rubens Edwald Filho sobre o super… É dose, falecido corto! http://rubensewaldfilho.blogspot.com.br/2013/07/o-homem-de-aco.html#comment-form
                p.s.3 o erik vai adorar os erros elementares que ele comete na crítica, tais como nome de personagem, objetivo de personagem e parte do enredo…
                p.s.4 Em breve, escrevo umas coisas pro tal Rubens…

                • Gostei muito do filme, mas entendo as críticas contrárias… Porém, não dá pra relevar essa do Rubens. Muito, muito ruim mesmo. Tem tanta pérola que parece uma joalheria.

                  Quanto ao MDM, seja bem-vindo ao sétimo maior blog iniciado pela letra “M” do ano de 2007, e que concorre, na condição de cotista, ao prêmio de melhor podcast lá no Youpix. Releve as ofensas (que não são sérias, eu acho…) e aproveite um excelente site.

                  P.S. Atual site do Corto(o original):

                  http://blogclimax.blogspot.com.br/

                  Ele manja muito de cinema e, quando o assunto não é Nolan, seus textos são bem aproveitáveis.

                  • Shiraklima

                    Obg novamente pelo “bem-vindo” Conferi o site do Corto… Interessante msm! Quer dizer que os textos são bons quando não falam do Nolan?! Compartilho a mesma opinião! Nolan é muito inventivo mesmo! Sugiro que assista ao “Following”, 1º filme do Nolan, ainda em preto em branco. A obsessão, a perseguição, a dubiedade humana- temas preferidos – já aparecem nesse 1º longa… Atente pro nome do protagonista “Cobb”, depois aproveitado em “Inception”! Observe também, numa certa cena, o simbolo da batman, pendurado na porta do quarto de um personagem… abraço cinéfilo…
                    P.s. na crítica sobre TDKrises, ele pergunta como Bane obteve o discurso do Gordon! É como eu disse, é só atentar pros detalhes…

                  • Shiraklima

                    Me responda uma coisa: isso é combinado, é algum “código de conduta” de vcs sempre agir assim?! Engraçado msm… abraço e bons filmes sempre e atente pros detalhes…

            • Lau

              “Realmente pensei que ia encontrar mentes inteligentes pra compartilhar sobre o “Man…””
              Cara, relax, vc só precisa separar, sempre vai ter dessas por aqui…
              #voltacorto

    • Erik Junior

      Tá de sacanagem né? Vc chama o Superman de Kalel, parei aí. Kal-EL seu fdp! O que vc fez foi tentar explicar o inexplicável, como se tivesse na cabeça dos roteiristas e dos montadores. Aí não né. E como vc parece ser novo e não conhecer o MDM, aqui vão minhas boas vindas: VAI SE FUDER PORRA!

      • Shiraklima

        Eu sei, caro Erik, que é Kal-EL… não foi desconhecimento de minha parte! Escrevi o texto apressadamente! Foi isso, apenas pressa! Interessante como vc observou esse detalhe no texto! Porém, não observou os detalhes do filme, os quais tentei esmiuçar um pouco no meu texto… Atente ainda que não achei o filme perfeito… Não aceitei toda a proposta apresentada…Observar um filme, gostar de cinema é atentar pra seus detalhes ou partes e, por extensão, entender estilo de roteiristas e diretores… abraço p vc!!

  8. Lau

    Finalmente um filme que mostra o quão forte o Superman pode ser no Cinema! Como dito, os Acertos do Filme compensam os erros…
    Ver Lex Corp num OutDoor no alto de um prédio e no caminhão tanque de gasolina, Wayne Corp no satélite!
    Agora a pergunta, a mina(Caroline ‘Carol’ Ferris) que chama o Superman de ‘Gostoso’ no final, é a mina do exercito que curte o Lanterna verde nos quadrinhos?
    Verdade que a fumaça na explosão de Krypton faz menção ao semblante do Brainiac?
    Algumas naves também lembram os aparatos dele no quadrinho?
    http://i1057.photobucket.com/albums/t389/TheEst/Films/Man%20of%20Steel/man-of-steel-brainiac-design.jpg~original
    Me corrijam, mas em nenhum momento fala-se Smallville e Metropolis no filme, certo?
    Acredito que essa falta de noção do Super ao combater os inimigos na cidade vai ser corrigida com algum sermão/aprendizado nas sequencias…
    Pode não ser muito,mas da pra ter esperança de algo melhor vindo ai! =D

  9. Philipe Teixeira

    Tenho que dizer que essa foi a primeira vez que leio um post deste site, não por falta de vontade, mas por falta de conhecimento da existência dele (hehehe) e finalmente encontrei uma crítica que não tivesse fanboyzismo (alô Judão!), posso dizer que o Superman que eu vi realmente é diferente do qual eu cresci, mas é um super totalmente compreensível nessa geração. Muitos compararam com os filmes da Marvel, mas sinceramente, já tava cansado de ver filme de herói cheio de piadinhas e frases de efeito!
    Concordo com que o Algures disse em muitas partes, tanto nos acertos quanto nos erros do filme, pra mim foi uma boa introdução de saga e espero que isso renove a vontade da Warner de trazer o mundo da DC para os cinemas!

  10. Willian

    O cara reclamando de cena que está alí só pra ter comédia… nem preciso dizer que se elas não existissem, iam reclamar do mesmo jeito, só que alegando que o filme não tem comédia nenhuma.

  11. “umas cenas de ação desnecessárias (o enfrentamento com tentáculos robóticos gigantes durante a tentativa de Zod de terraformar nosso planeta por exemplo)”

    Mas tu é burro em “Triplo”! A DC pensou em tudo. Essa cena é a preparação para o proximo filme, quando o inimigo será Brainiac. Pode reparar a nave é idêntica a dos quadrinhos.

  12. Ótima critica Algures, diferente da critica do Bugman, vc soube balancear os pontos positivos e negativos, não se deixando levar para o emocional. Diferente do Change e do Bugman, que já assistiram com má vontade o filme, pq “não é o meu superman”, porra, eu não nasci em 1938, mas o primeiro superman é de longe o melhor de TODOS, TODOS! Nda estraga mais um filme do que os malditos fanboys, vide Homem de Ferro 3, que tem trocentos erros horrendos, e é um filme ruim, mas alguns certos redatores insistem em tentar explicar todos os furos, mas não tem essa boa vontade com outros filmes.
    Enfim, gostei do filme, gosto de filmes sérios de super-heróis, é uma pena que a maioria das pessoas se acostumaram com as comédias que a Marvel lança no cinema, e já vão com uma extrema má vontade, só pq o filme “é serio demais, não tem piadas”.

  13. não, cara, não.

    o único super do cinema que prestou foi o altruísta do Reeves, porra!

    um super tão foda, tão bem caracterizado, que não matou um kryptoniano – matou 3, depois que eles já estavam sem poderes!!!!

    porra, e ainda querem falar que o super anos 70-80, o super reeves, sim que eram os super de verdade, hauhauhauhauhauahu

  14. Seu pai.

    Finalmente alguém coerente escreveu sobre o filme, lembrando que o Superman atravessou décadas com “mudanças de personalidade” ao invés de ficar choramingando de “ele não mata, ele desfila, não é o Superman”.

    Concordo com grande parte do texto, inclusive com a parte dos tentáculos metálicos, que também achei desnecessário.

    Mandou bem, Algures. Aprende a fazer uma crítica boa, Bugman, seu bosta.

  15. Judas - The Priest

    Eu concordo com esse primeiro parágrafo, e por isso que discordo tão bruscamente com críticas como as do Bugman e as do (merda do) Judão… que definem o Superman a partir de uma ótica particular, sem levar em conta que os personagens de quadrinhos ao longo desses 75 anos tiveram diversas roupagens.

    Apesar de ter minha preferência pelo Superman do Byrne – posso dizer que cresci com ele – entendo que o personagem tem necessidade de adaptação s equiser sobreviver, inflizmente nossos tempos não são tão inocentes como outrora, quando eu era pirralho a gente ia jogar bolinha de gude na rua, hoje em dia a coisa é diferente, e precisamos de um Superman contextualizado.

    • Sim, o chroma key ficou vagabundo, mas é pq deu um trabalho enorme pintar toda a superficie da sua mãe gorda pra caralho de verde e depois digitalizar todo o planeta em cima dela,
      porra, VEROSIMILHANÇA em avatar e krypton?
      volta a “cavalgar” os vermes de duna seu arrombado, aposto que cabem uns 2 ou 3 no seu cu.

  16. Concordei com grande parte do texto. Outras coisas sem muita justificativa, que a meu ver podiam ser melhoradas. Porque diabos o Zod queria a Lois na nave? Muitas cenas de ação foram legais, mas outras podiam ser resumidas ou excluidas e dar mais tempo pra desenvolver coadjuvantes e o proporio Super. A presença do Jor-El virtual na nave aqui na Terra não curti, podiam resolver melhor isso.Achei gratuito e forçado.
    Agora uma coisa que não consigo concordar com ninguem. Superman assassino??? Tá certo ele matou o Zod(a sangue frio? Será?), mas ele só fez isso pra salvar uma familia,e o grito dele na sequencia foi de culpa e remorso. Ele não queri matar mas teve que fazer. O Homem de Ferro mata geral nos 3 filmes dele, semremorso nenhum e tudo bem. Vamos usar um pouco a cabeça galera. Tudo bem o Super é contra matar. Mas no filme ficou bem contextualizado e encaixou. Foi uma coisa que ele fez contra a vontade, mas era necessário.

  17. Relâmpago de flash

    Muito bom o primeiro paragrafo. Definiu bem, Algures. No fim das contas, o que vai valer é onde cada um pegou (ui) o Superman. Eu ainda acredito no escoteiro e gosto muito mais das HQs em que ele age assim, mas não deixei que isso me impedisse de aproveitar um filme que ficou bom o suficiente pra esperar pelo desenvolvimento do personagem nos próximos (e há muita coisa a ser desenvolvida). Acho que a trilogia do Nolan e os filmes dos Vingadores deixou a gente imediatista demais. Querendo que a DC seja 11 já no primeiro filme que vai construir o universo cinematográfico dela.

  18. Eddye

    Pra constar, todo mundo anda se perguntava porque caralhos os kryptonianos não saíram fora do planeta deles. Pelo que diz no livro “Ultimos dias de Krypton”, era proibida a construção de qualquer tipo de foguete na sociedade Kryptoniana, por causa de uma guerra a mais de 200 mil anos, em que o conquistador Jax-Ur usou os chamados “Dardos Nova”, uma espécia de foguete nuclear, para explodir uma lua do planeta e dizimar uma colonia inteira.
    Creio que, na falta de um prequel nos quadrinhos no filme, essa explicação seja valida na cronologia.

  19. Algures disse praticamente tudo que eu pensava do filme, vale lembrar que como é uma abordagem mais “realista” o personagem pode evoluir e se aproximar mais do personagem mais cauteloso que estamos acostumados nos quadrinhos (pré-reboot).

    Acredito que o Lex Luthor entrando na sequência vai abordar essa parte “destrutiva” do super no primeiro filme, tentando trazer a humanidade para o seu lado se voltando contra ele.

  20. Erik Junior

    As cenas de ação são longas e deixaram o resto do filme corrido. O romance entre o Clark e a Lois ficou mais forçado que Thor e Jane Foster no filme da Paquita Marteluda. Não dá pra comprar uma jornalista investigativa (Amy Adams linda, a mais bonita Lois Lane que já teve), ganhadora do Pulitizer, que descobre a história mais impressionante de todas, a resposta pro “estamos sós no universo?”, mas deixa pra lá sem muito esforço.

    E os valores de altruísmo, justiça, caráter e amor aos seres humanos, o Superman aprendeu com quem? Pq o Jonathan Kent só o ensinou a tomar porrada sem reagir, e auto preservação (deixa quem tiver que deixar morrer, até eu, mas se poupe).

    E os humanos? O mundo acabando em volta deles, prédios caindo, mas todos parando pra olhar, uma passividade e coragem impressionantes. Um alienígena corta a eletricidade do mundo e diz em todas as tvs do planeta que vai destruir a terra, e os humanos ficam de boa, sem pânico, nada.

    Henry Cavill está bem, mas o roteiro não ajuda. Achei que seria o Superman definitivo, mas é apenas o cara que come a Gina Carano (o que já é muita coisa).

    – O patriotismo piegas (bandeiras americanas tremulando ao fundo enquanto o Superman é aceito como “amigo” pelas forças armadas, ou o Superman dizendo que é do Kansas).

    – A falta de consequências na atitude do Super no fim do filme em relação ao Zod. Ele aceitou muito bem o feito.

    – A porradaria desmedida que saiu de Metrópolis, foi pro espaço, arrebentou tudo, deu a volta e….parou no mesmo lugar! Parabéns ao senso de direção pro Super e pro Zod,.

    – Superman alternando entre barbudo e cara lavada todo o tempo.

    – Lois Lane também voa? Ela chegou bem rápido ao local do fatídico “quebra pescoço”.

    – A porcaria do Planeta Diário tbm não tinha sido destruído? Onde o Clark chegou pra trabalhar no fim do filme?

    TEM TANTA COISA ERRADA, MAS TANTA, QUE ACABARAM FERRANDO COM TODO O RESTO. NÃO ME DECEPCIONAVA TANTO DESDE “MATRIX RELOADED”, OUTRO SCI-FI RUIM COM BOAS CENAS DE AÇÃO.

    • “Qual é o seu Superman?”:

      ‘Um home pra chamar de seu, mesmo que seja eu…’
      ou

      ‘Moreno alto, bonito e sensual, talvez eu seja a solução dos seus problemas…’

  21. Muito bem Algures, uma crítica que realmente é uma crítica, e não o mimimi cade meu Superamigão mimimi do Bugman.
    O filme pode não ser uma preciosidade como TDK, mas tem seus méritos, visualmente é incrível e o roteiro pelo menos a mim convenceu.

  22. MAN OF SHIT

    Torço para que as continuações tragam de volta o Superman… como dito no podcast… um dos maiores problemas desse filme foi colocar o Superman nele. Porra até nos desenhos infantis de hoje ele é retratado como um símbolo, um líder e um superherói acima de qualquer outro. É difícil ver o Super ser retratado como um babaca alienígena qualquer que não se importa com a porra dos outros.
    Fora que tbm senti uma ponta de decepção em alguns pontos. Como por exemplo a altura do Super. Em qualquer desenho ou retratação do personagem ele é visto de baixo, como algo além, um deus. E nesse filme os soldados praticamente olhavam pra baixo. Não que o cara sejE muito baixo (1,85), mas até o Robert Downey coloca um saltinho pra não ficar tão anão frente aos demais.
    Besteiras a parte… esse Superman não me representa (Ooooo porra de frase chata fdp do cacete)…
    OBS: A Lois é uma perfeição só… mas a química com o Super poderia ser MUITO mais explorada, não deu pra engolir…

  23. Reinaldo.

    Não achei o relacionamento Lois/Clark algo positivo – por incrível que pareça, a construção no seriado Smallville é muito mais interessante.

    Tem uma cena mais pro final do filme aonde Metropolis está aos pedaços e surge um momento de descanço antes de investida final do Zod, o Superman carrega Lois no colo até o meio daquela destruição, e ela, como uma pré adolescente, ou uma adulta muito alienada, só tem olhos e atenção pro cara que ela conheceu há tão pouco tempo…. “foda-se se minha cidade está destruída… foda-se se meus vizinhos, colegas de trabalho, familia (possivelmente) e grande parte dos meus conhecidos estão mortos…. a única coisa que quero é acariciar o rosto desse homi lindo e tascar-lhe um beijo com direito a piadinha, no meio da morbidez da cena”

    É raso. É cliché. E é de pessimo gosto. Roteiro e condução de cena de pessima qualidade que se estende em quase todo filme (falando de Lois&Clark) e que não passa de uma “forçassão” de barra danada pra engolirmos o casal, (pelo jeito, muitos engoliram).. assim como levar desnecessariamente a Lois pra nave do Zod – afinal, ela precisa conhecer o sogrão.

    Sobre o argumento do “Superman de cada geração” – bacana, se por um lado faz um certo sentido… por outro, é apenas uma justificativa de que partir pro massavéio, independente da alteração da essência do heroi, é o melhor caminho. Não sei se já assistiu (mas deve ter lido a fonte), mas Superman Vs. Elite é uma ótima animação que mostra que independente da situação “dark” que o mundo ou as pessoas se encontram, sempre existirá espaço pro heroi de verdade, que faz o mais difícil (não matar) e se importa com as vidas ao redor.

    Esse filme eu veria com gosto, se adaptado ao cinema. Assim como o Reino do Amanhã, etc. Independente da mudança do status e filosofias das gerações, eu ainda acho que o papel de um heroi (não um justiceiro) é bem diferente do que vi no cinema.
    Abs

    • Reinaldo.

      Só mais uma coisa:

      Não sou religioso e nem mesmo posso confirmar se a figura historica realmente existiu, mas o filme passa um bom tempo tentando comparar o Superman com Jesus Cristo. O pouco que conheço dos ensinamentos de Jesus, assim como o de Buda e tantos outros, independente da geração, sempre passaram a mensagem que agir pela Lei de Talião é errado, ao invés disso, exalta o auto sacrifício e a grandeza espiritual acima dos desejos pessoais e da sociedade.

      Se bem que imagino que o Snyder se baseou nessa figura construir a comparação:

    • paulo

      Cacete!Imagina se em todo filme de ação com destruição, nego fica chorando pelas vitimas.Seria uma dramalhão sem fim.E Smallville teve dez anos para meter romancinho e desenvolver os personagens(para mim só o Luthor), mas não se esqueça(e pelo visto nem você se lembra) que morria gente a quilo em todo episódio e ninguém ficava chorando por eles.

  24. dlm1982

    Que se foda matar o Zod!!!

    Mas, porra, a destruição de metropolis foi insana e causada pelo próprio super. Claro que na visão massavéiaca do Snyder, nada demais.

    Mas mesmo assim, por mais que esse Super seja mais distante da humanidade ele diz algumas vezes que está ali para proteger…e porra, ele destrói a porra da cidade inteira.

    Claro que não daria para salvar todas na cidade e que o terraformador matou trocentas pessoas, mas não dá para se conformar com o próprio super jogando o Zod no meio dos prédios.

    E nas cenas em Pequenóplos, quando enfrenta o Zod e depois a Foara e o outro kryptoniano genérico, ele evita jogar os caras em locais com gente, mas porra, o tiro tava comendo solto, custava levar a luta para o milharal….ÊÊÊÊÊ…nada como super-cenas massavéio!!!

    Mas no fim das contas eu gostei do filme. O nível de porrada dele com o zod é o que sempre quis ver nos cinemas. enquanto a maior ameaça do Super do Singer foi impedir que o globo do planeta diário caísse na população, a porrada nivel Dragon Ball comeu solta no filme do snyder.

    • Superman fã

      “Mas, porra, a destruição de metropolis foi insana e causada pelo próprio super. ”

      Não, foi causada pela máquina de Terraformar. O Super, na maior parte do tempo, lutou com o Zod no local onde a máquina já tinha fodido tudo.

        • Seu pai.

          Mesmo porque nos quadrinhos só os vilões quebram tudo, né? Os heróis não entram na treta e acabam zoando a porra toda, ficam de braços cruzados. Então tá…

          • MassaBoyPrime

            Mas nas hqs eles pelo menos se mostram preocupados, vide na luta contra a Elite onde o superman IMPLORA pra lutar em um local onde não tivesse ninguém.

            • paulo

              Hqs?Tipo o Sr. Fantastico salvando o Galactus depois desse tentar devorar o planeta?O Batman prendendo o Coringa pela milésima vez, pois ele não merecer ser morto?Aquilo não serve de referência para nada.Até as Meninas Superpoderosas eram mais realistas nas destruições das lutas delas.

  25. MassaBoyPrime

    Os fãs do super massavéio tão surgindo em massa. Minha nota pro filme não é muito abaixo disso, como disse no post do bugman acho um 6 válido mas porra Algures, como a relação Lois/Clark é boa? Eu achei eles MUITO forçados e sem química.

    • Porra, meu filho!
      Eu escrevi sobre QUE PARTE do relacionamento dos dois eu achei um ponto alto, não falei nada da química dos atores Nem critiquei nenhum aspecto cinematográfico que não fosse o roteiro.

      • MassaBoyPrime

        Tudo bem, ela saber da identidade secreta dele eu também achei legal, como você disse ela é a melhor repórter investigativa do mundo mas tipo, você citou “Lois/Clark” como ponto possitivo e basicamente só falou isso sobre eles…

      • Saturno, o Pogobol de Deus

        impressionante é a mesma jornalista investigativa, ganhadora do Pulitizer, que descobre a matéria do século, mas deixa pra lá depois de uma historinha triste de como o personagem dessa matéria foi desnaturado e negligente, deixando seu próprio pai morrer sem fazer nada.

        • MassaBoyPrime

          História que podia ter sido simplesmente resolvida com um “clark pega o cachorro no carro” ou um clark protegendo o pai pois a distancia entre eles era pequena. E tipo, mesmo se não desse tempo de voltar, porque o clark n fingia ser pego pelo furacão enquanto fugia com o pai? Existem vítimas de furacões.

          • Saturno, o Pogobol de Deus

            realmente, pq o bosta do Guarda-Costas não deixou o Clark pegar a porra do cachorro? Pelo menos ele não ia se enrolar com a porta e nem ficar com a merda do pé preso, logo, ia salvar o cachorro e sem levantar suspeitas. TÁ TUDO ERRADO PORRA, TUDO ERRADO!

              • Saturno, o Pogobol de Deus

                e pq diabos o fdp do Zod queria aquela piranha da Lois na nave junto com o Super? Se pelo menos fosse pra comer ela (que gata, pqp!), mas não, foi pra porra nenhuma.

                • MassaBoyPrime

                  Eu prefiro pensar que ele ia interrogar ela e não deu tempo, sei lá, torna o filme menos pior. Mas mesmo assim, com aquela maconha braba dele acho que ele conseguia tirar umas informações sem nem precisar da Lois.

                • Kevin

                  Acho que o filme tem milhões de problemas, mas esse não é um deles.
                  Na imprensa, foi anunciado que Louis sabia a verdadeira identidade do Super.
                  Logo, Zod a levou para a nave para interrogar – e interrogou!. Como acham que ele descobriu o endereço da véia Kent?
                  Louis até pede desculpas ao Clark por isso.
                  Só pq não mostraram interrogando vcs acham que isso não ocorreu? Tudo tem que ser didático, explicadinho? VTC!

            • Shiraklima

              Saturno e MassaBoy, aqui vai uma pequena conclusão a que cheguei conversando com um amigo ao sair do cinema! Minutos antes dessa cena, em outro flashback, a mãe de um dos garotos que estavam no onibus diz que foi clark quem os salvou! Observe 3 cenas-takes rápidos: o pai pega a jaqueta, poe a cafeiteira e fecha porta…. São imagens que demonstram a autoridade do pai, que “direciona”, que sabe “o certo” a ser feito… Então, nós vemos quase a mesma coisa na cena do tornado! Antes clark questiona o porque de ouvir alguém que não é seu pai e logo pede desculpas pela afirmação e J. Kent levanta mão! A mesma autoridade que será mostrada novamente na ação de proibir que Clark o salvasse, para que esse não se expusesse mais uma vez… abraço cinéfilo…

  26. Usul Atreides

    Concordo plenamente, ao contrário do mimimi acho que esse superman vem mostrando um retrato do sonho americano nesse momento, como ele sempre fez, como um vigilante no inicio, como um herói que não precisava dar explicações ou o grande gestor moral do mundo, confiante em seu pedestal de moralidade. Essa não é mais a realidade do grande império, eles já viram seus erros, já percebem suas fragilidades e estão longe do ideal Superman de proteger a todos de tudo, o povo sempre procura identificação em heróis, esse é o super que representa o EUA agora, com problemas, ligeiramente vingativo, heroico mas sem um toque (ou vários) de egoísmo.

    • paulo

      Egoismo, individualismos, tanto faz, isso o torna humano.Só comunistinhas de faculdade com o seu barbudo messiânico acham que podem anular isso.

  27. AmanteDaSuaMãe

    só com o primeiro paragrafo vc explicou exatamente oq esse povinho fresco ta fazendo questão de ignorar ..
    pros nossos avós o nosso Super é um bundão ..
    e pra nós o super da proxima geração é massavéio demais ..
    e a proxima geração vai reclamar q ele virou viado .. e por ai vai ..
    como disse o FÃ DO ROBIN ,.. é esperar pelos proximos !!

    e CHUPA BuCHEmannnn !!!!

  28. L.

    Até que enfim uma opinião sem choradeira… já tava cansando a lenga-lenga “esse não é meu Super-Man” do Bugman e do Change… e não, não faço parte da geração massaveio e acho a direção do Snyder desinteressante. Só acho que esse negócio de “essência do personagem” muito subjetivo. E mais ainda uma suposta “violação” dessa essência.

    • The Freeman, o GratuÍto

      Concordo, e o Algures falou isso muito bem citando as várias fases do personagem e como ele deve se adaptar ao gosto do público para sobreviver.

  29. Walter Supermercado

    Eu concordo com tudo que o policial/psicólogo disse… Sem tirar nenhuma vírgula (não, eu não vou dar pra ele, prefiro comer a mãe de vocês). É um bom sci-fi com um super-herói.

  30. The Freeman, o GratuÍto

    “Não é o ‘meu’ Superman”, hmmmmmmm, significa, cortisticamente.
    No mais, concordo com sua opinião, foi um filme legal, mas deixou a desejar em vários aspectos, mas o que mais me incomodou foi a participação militar. Achei massante e muito extensa, podiam ter aproveitado esse tempo pra explorar mais os personagens e fazer menos michaelbayzisse.

  31. Primeiro parágrafo acertadíssimo Algures. Apesar de não reconhecer na tela o Superman que eu aprendi a admirar, o filme não deixou de ser bom por causa disso. É perfeito? Não é. Mas não é perfeito por falta de fidelidade ao material de origem. É imperfeito por problemas de rítmo e direção. Mas mesmo esses problemas não impedem que você tenha uma boa experiência cinematográfica.

  32. Walter Supermercado

    Prevejo o Poderoso Porco tendo uma briga com o Bugman, a ponto do policial comedor de travestis quebrar o pescoço do Senhor Cagador de Regras…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: