Trilogia Rambo

Bem, na verdade eu pretendia fazer um Das Antigas de cada filme do famoso ex-boina verde, porém como Rambo 4 estréia hoje e eu ando mais ocupado que puta em despedida de solteiro, vamos juntar logo tudo como uma mossoroca! E ainda facilita para aquele site plagiar depois, né?


O ano do primeiro filme, Rambo: Programado Para Matar (First Blood) era 1982. Sylvester Stallone possivelmente ainda era considerado um ator de verdade com sua já cinessérie de sucesso, Rocky (que já estava no terceiro), quando topou ser John Rambo.
First Blood, como vocês já sabem, é baseado em um livro homônimo de David Morrell, porém vocês não sabem de onde se originou o nome Rambo.
Morrell queria nomear o personagem em uma homenagem ao poeta francês Arthur Rimbaud (que se pronuncia Rambo), mas segundo ele, o nome não era bom o bastante. Porém, quando sua mulher o fez experimentar uma deliciosa maça chamada Rambo (isso é sério, sem sacanagem), o autor decidiu nomear seu famoso personagem de Rambo mesmo!

Ainda sobre David Morrell, o cara que era professor universitário, teve seus alunos que foram para guerra como fonte de inspiração para o personagem principal, porque eles não conseguiam vê-lo como autoridade. O escritor detalha no DVD do longa “eles diziam ‘por que devemos obedecer você, se fomos nós que lutamos por esse país?'”. Morrell então, vendo os efeitos pós-guerra nos sobreviventes, decidiu fazer um livro a respeito.
Voltando para o filme, a adaptação mostra um veterano da guerra do Vietnã que, ao passar por uma pequena cidade do interior, é preso e maltratado pelos policias locais até se emputecer e fugir para a floresta. A partir daí, rola a boa e velha brincadeira de gato e rato, em que John taca o maior terror tanto na floresta quanto na cidade.

“Terror” esse bem light, pois como vocês já leram no excelente post do Hell, os roteiristas decidiram que o personagem-título não mataria ninguém, só dois cachorros. Só um policial morreu, porém foi por “animolância” do próprio por cair de um helicóptero por não usar o cinto de segurança.
E o que eu digo sobre Rambo 1 é o mesmo o que digo sobre os dois primeiros e último Rocky: não espere ver um filme de porradaria desenfreada como a maioria protagonizada pelo nosso “cara-torta” favorito. Não! Pois você verá um drama!
Um detalhe é que para a maioria das cenas de ação o próprio Stallone fazia sem ajuda de dublê. Uma dessas cenas, em que ele salta de um penhasco e bate em galhos de árvores antes de despencar no chão, quebrou mais de três costelas do ator. O mais bizarro é que foi esse take que entrou no filme. Então o “oh, god!” de dor é DE VERDADE!

E pela humilde opinião deste pequeno redator que vos digita, porém superior que a sua, Rambo: Programado para Matar possui uma das melhores atuações do Stallone! Aposto que você está rindo nesse momento por elogiar a atuação do velho Sly, porém deixe-me explicar. O cara pode não ser bom, mas é esforçado, e isso fica nítido principalmente na cena em que Rambo desabafa sobre sua miserável vida para Trautman! Um dos melhores monólogos que o cinema-nerd pode proporcionar.
O filme, apesar da dificuldade de ser produzido, foi um sucesso absoluto, arrecadando 56 milhões de dólares nos EUA e 70 milhões no mundo. Em meio à divulgação boca a boca (ou como você acha que as pessoas se viravam sem internet naquela época?), First Blood foi apelidado no seu país de origem de “Rambo”, e por causa disso começou a confusão com os títulos de suas seqüências.

Rambo 2 – A Missão, de 1985, que possui o nome original de Rambo: First Blood – Part 2, teve como roteirista, ninguém mais, ninguém menos que James Cameron, o diretor de Exterminador do Futuro 1 e 2 e Titanic (é… Eu não precisava te lembrar disso, né?).
Ficou chocado? Pois fique sabendo que, enquanto pré-produziam a continuação, queriam colocar John Travolta como melhor amigo e parceiro do Rambo (e aquele papo que teve no primeiro de que ele era o único do seu batalhão?). Possivelmente só teve esse papo porque Stallone foi diretor/roteirista/produtor do constrangedor Os Embalos de Sábado Continuam, de 1983, estrelado por Travolta.

Em Rambo 2, eles trocam o drama pela ação desenfreada, mostrando John Rambo preso devido às atitudes tomadas no primeiro longa quando recebe uma proposta: participar de uma missão que consiste em localizar soldados americanos aprisionados no Vietnã. Ele aceita, apesar de não concordar que o plano de Murdock, um burocrata, seja de apenas bater fotos caso encontre algum. Entretanto, ao encontrá-los, Rambo parte para o resgate, mas é deixado para morrer. Murdock e seus homens não querem nenhuma prova de que existam prisioneiros americanos em solo inimigo, pois isto acarretaria gastos de 2 bilhões de dólares. Resta agora ao ex-boina verde acabar com os vietnamitas, meia dúzia de russos (já que era época da Guerra Fria) e alguns americanos corruptos.
Apesar da série se tornar mais voltada para as peripécias do personagem do que para seu lado psicológico (como falei no parágrafo acima, trocaram o drama pela ação), o tema central (prisioneiros americanos deixados para trás pelo próprio país) foi algo que aconteceu de verdade naquela época! Portanto, a película ajudou bastante a debaterem e até a tentarem resolver esse problema. Tanto que o presidente da época, Ronald Reagan, citava frases do filme e dizia que Rambo era um símbolo do exército americano.

E já que escrevi que Rambo 2 é ação, devo ressaltar: que ação! É irônico o discurso que Stallone dizia na pré-produção do primeiro de que seu personagem não poderia matar, mas nesse ele arrasar com 69 (o número mágico) infelizes! E a maioria usando só o seu facão (que aumentou de tamanho) e um arco e flechas!
Falando em morte, nesse filme ele tem uma namoradinha, Co Bao (interpretada pela deliciosa Julia Nickson-Soul), mas morre 3 segundos após darem seu primeiro e último beijo. Originalmente, Rambo berrava um “NOOOOOOOOOOO!!!” fazendo a câmera se afastar rapidamente, mas nas exibições de teste a platéia gargalhava com a cena.

Essa primeira seqüência é o único filme da trilogia que recebeu uma indicação ao Oscar e foi para Melhores Efeitos Sonoros (que merda, né?). Em compensação, ganhou Pior Filme, Pior Ator (Sylvester Stallone), Pior Roteiro e Pior Canção Original (“Peace in our life”) na Framboesa de Ouro, e ainda foi indicado a Pior Diretor, Pior Atriz Coadjuvante e Pior Revelação Feminina, os dois para Julia Nickson-Soul.
Mesmo assim, o longa lucrou 150 milhões nos EUA e 200 milhões fora de lá.

Três aninhos depois saiu a última aventura (até então) do homem da faixinha na cabeça em Rambo 3. E sim, esse é o nome brasileiro e americano! Imagina a complicação que é diferenciar um filme do outro (First Blood, Rambo: First Blood Part 2 e Rambo 3). E a coisa só piora… Esse novo e último filme é chamado de Rambo 4 aqui no Brasil, mas lá fora só de Rambo! Quer moleza? Senta no pudim!
Mas voltando para o terceiro, Russell Mulcahy, o diretor de Highlander (e de algumas bostas), seria o diretor, mas por diferenças criativas pulou fora do barco dando lugar a Peter MacDonald.

A história dessa vez mostra o veterano da guerra (com um cabelo ridículo) em um templo à procura de paz espiritual quando surge o seu mentor, Coronel Trautman, e pede ajuda para livrar o Afeganistão das mãos dos russos (russos? De novo? Achei que o Sly já tinha superado isso quando venceu a Guerra Fria sozinho em Rocky 4). Ele nega e seu amigo parte para lá e logo é aprisionado. Rambo decide então ajudar os afegãos e resgatar Trautman.
Não, você não leu errado! No final dos anos 80 a Rússia estava atacando o Afeganistão, e o país do oriente médio tinha apoio dos EUA. É bizarro ver como a situação se inverteu depois alguns anos, mas esse assunto o Ultra já abordou alguns anos atrás.

Falando em inverter papéis, uma das poucas coisas elogiaveis da trilogia é como se transformou a relação entre Rambo e Trautman. No primeiro, o Coronel era um verdadeiro pai preocupado, tanto que John só se abriu para ele e no final chorou em seus braços. No segundo, seu mentor já o via como um igual. E no terceiro, era Rambo quem teve que cuidar de Trautman, como o filho que cuida do pai doente.
Por causa disso, o personagem está mais bolado do que nunca! São 132 mortes (!!!) e de novo a maioria foi com seu facão (que agora já é um sabre) e seu arco e flecha (que explodiu até um helicoptero com uma flechada)!!!

E a crítica continuou caindo de pau! Ganhando assim o prêmio Framboesa de Ouro para Pior Ator (Sylvester Stallone) e foi indicado a Pior Filme, Pior Diretor, Pior Roteiro e Pior Ator Coadjuvante (Richard Crenna).
Mesmo assim, o filme lucrou bastante. Certas fontes se contradizem, alguns dão que esse foi o que mais arrecadou bilheteria, outros dizem que perdeu (e por muito) para Rambo 2. Mas o que importa é o CA$$HIM!

Bem, acho que é isso! Se você leu isso tudo, imagino o quanto você é fã do maior personagem de guerra dos cinemas, então não perca seu tempo e vá logo ao cinema ver Rambo 4 hoje!

Anúncios

  1. Calote

    Ótima matéria, parabéns!
    Por mais tosco que “seje” Rambo, ele faz parte de nossa infância/pré-adolescência.
    Bons tempos em que a violência desenfreada e sem compromisso nos divertia.

  2. Inferno, o Infame

    Cara, o filme pode ser ruim, um monte de clichês, com final previsível, atuações medíocres, roteiros com diálogos débeis, direção farofa com aqueles takes pra lá de manjados, etc, etc, etc.
    Mas foda-se. É O RAMBO, PORRA!!!!
    ehaiehaiehahiaehiaehiaehieahieahiahi
    abcs

  3. Inferno, o Infame

    No final dos anos 80 a Rússia estava atacando o Afeganistão

    Na verdade a invasão do Afeganistão ocorreu em 1979 e os soviéticos deixaram o país só em 1989, ou seja, no final dos anos 80 os soviéticos já estavam dando o fora de lá e deixando o afeganistão pros talibãs de bandeja. Pouco depois a própria União Soviética foi pra casa do caralho.
    abcs do caralho

  4. Inferno, o Infame

    Morrell queria nomear o personagem em uma homenagem ao poeta francês Arthur Rimbaud (que se pronuncia Rambo)

    Er… bem, sem querer ser chato mas já sendo, Rimbaud se prouncia ‘rrambô’, a tonicidade está na segunda sílada. Já Rambo se pronuncia ‘rrâmbo’, com tonicidade na primeira sílaba.
    abcs chatinhos

  5. itachi uchiha

    rambo 4 foi muito bom apesar dos dialogos detestaveis o filme diverte bastante,ele foi um exelete aluno.Impiedoso,cruel,invisivel,vingativo,todas as qualidades de um exelente ninja,um dia ele chega á minha altura!!!!!!!

  6. Essa cena que ele amarra uns panos nas mãos, passa na cola e depois em vidro quebrado é foda!
    E ao invés de faixa vermelha na cabeça, eu amarrava papel higiênico e me aventurava com minha faca-rambo de plástico. =D

  7. MAX

    Podem dizer o que quiser, mas eu curto muito esses filmes trash na linha do Rambo, não é só de Fellinis que vive a indústria cinematográfica.
    A propósito, recomendo a galera que visite o site Herói (www.heroi.com.br) e procurem uma matéria a respeito de um suposto elenco do filme do Harry Potter utilizando caras fodões, aí vão saber quem são os copiões.

  8. Kratos

    esperando os Mdms assistirem Rambo 4 e criticarem ele por ser um filme com historia e dialogos de bosta mas uma ação épica….mas muito curta…pelo menos foi o que a maioria achou…
    eu particularmente gostei muito…é o meu melhor aluno mostrando que mesmo velho…ele chuta bundas como ninguem hehehe

  9. Anubis_Necromancer_XIII

    Podem dizer o escambau do rapaz. MAS nesse 4º ele tá foda.
    Crássico, com direito de ganhar como Pior Continuação ou Enredo pra Continuação^^
    (Agora que o Oscar tá sendo comprado pela Disney, o Framboesa é a ÚNICA premiação séria que existe).

  10. Norrin Kurama

    O 1º é o único dos 3 que gostei. Vi mais de uma vez. Os outros nem consegui ver até o fim.
    E tambem pensei em Top Gang 2 direto. Esse sim é uma verdadeira obra-prima!

  11. Toad

    Hauhauhauahauahau, cheguei a pensar que estavam anunciando o CAMPEÃO do Desafio Heróico, por antecipação, sem nem precisar mais os demais combates.
    Huahauahauhauahaua…o MdM é tão safado que pensei isso.
    Sem bem que Rambo merece ser campeão dessa bagaça.

  12. Presidente Logan

    Ainda não fui ver Rambo 4, mas diferente da maioria, admiro muito o trabalho de Silvester Stallone e acho que ele vai acertar como fez em Rocky Balboa…

  13. Lancelot DuLac

    Já assisti o novo Rambo.
    Putz… Não tem defesa pr’esse filme!
    Muito ruim!
    A única coisa que presta são ALGUMAS mortes!
    O Sly tá mortinho com farofa, não tem grandes demonstrações de força física no filme.
    Os efeitos especiais tão a titica do Tiririca misturada com as do Coringa (Tingalagatinga)!
    Na boa, esperem o dvd!

  14. Rufus!, O Bode

    Rambo foi um grande trabalho do Stalone ( o 1º é claro ). Na primeira vez que vi o filme fiquei surpreso, pois já tinha visto 2 e o 3. Tomara que o Stallas se redima das duas bombas crássicas que foram os outros filmes como fez em Rocky.

  15. Mr.CABELLONE

    Quarto ???
    Mas qual a vantagem de ser o primeiro, segundoi ou terceiro a comentar ???
    Se o fato não vem precedido de nada , nem ao menos um comentário inteligente ???
    Mas pedir comentários inteligentes dos leitores do MdM é tão ingênuo quanto o OTA pedir comentários inteligentes dos leitores da Revista MAD …
    (Ahhh, bons tempos aqueles…)
    E o que interessa é ??? Qual será o desempenho de nosso querido Rambo no Desafio Heróico ???
    PAA.

  16. BlackHeart

    Agora que eu li o post.
    Em Rambo 3 o Sly tava no auge…. do anabol. E antes que digam que no 4 ele tá deformado, saibam que isso é por causa do Hormônio de Crescimento, não dos esteróides anabolizantes.
    Ainda assim, vou dar um jeito de baixar os 3 e reassistir antes de ir ver o 4 😉

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: